25.9.11

A receita perdida.


Quero ser criança! Onde foram parar minhas bonecas, meus carrinhos e meus quebra-cabeças? Onde estão meus parceiros do pique-esconde, os companheiros que me faziam rir quando eu caía de bicicleta e machucava meu joelho e meu cotovelo? Cadê os bolos de chocolate que a vovó fazia todo dia?
Preferia voltar a ser aquela pequena que chorava quando o pai dizia não; quando os brinquedos quebravam ou sumiam do que sentir as pessoas sumindo da minha vida hoje. Preferia ter pesadelos com o bicho papão do que viver os pesadelos que hoje vivo. Pesadelos que vivo e não posso mais acordar deles em plena madrugada, pegar meu travesseiro e dormir entre meus pais; que não posso mais pedir uma abraço da mamãe e fazer com que esse abraço acabe com todo o meu medo em segundos.
Infelizmente eu cresci. E agora? Não tenho ninguém pra pedir abraço e me fazer esquecer do monstros que apareciam nos meus pesadelos. Alguém sabe me informar onde se encontra a fonte da juventude? Não quero essa natureza que me fez crescer, não quero amadurecer ainda mais. Cansei de ser grande e sozinha. Enjoei de tanto sufoco.
Ainda não encontrei uma maneira de voltar no tempo. Então, preciso me conformar que meu bicho papão se tornou problemas sem pé nem cabeça e quase impossíveis de resolver; que meus machucados e arranhões não se apresentam mais no meu joelho e, sim, dentro de mim; e que a vovó perdeu a receita do bolo de chocolate. O que me resta é compreender que o tempo não pára nem volta, assim como a pureza da infância.




4 comentários:

  1. Muito bom o texto, e escrito também. Seguindo, parabéns.

    ResponderExcluir
  2. Muito bom. Infelizmente não podemos voltar no tempo e reviver o melhor momento da nossa vida, a infância. E daqui em diante, a infância que tivemos estará em constante decadência. O jeito mesmo é 'aderir' a realidade.

    ResponderExcluir
  3. Concordo. 'Cansei de ser grande e sozinha.'

    ResponderExcluir